Plasma



Vem pela noite
Lua
No raiar do dia
Sol

Me escondo
Ando por aí
Deslexo e tonto
E nesse verso, poema
Me desencontro 
Pelo que sinto
Me desmonto

Corpo físico adormecido
Desejo, por desnecessário esquecido
Abduzido, dimensão do ser e do existir
Paro e silencio para o fluir.

Conduzo o que tenho
Para o que ainda há de vir
Se manter o envolver
InterAGIR

Inteiros, de dentro para fora
De fora para dentro
Desejo é emoção, quero mais sentimento
Mudar de lugar
Ver o Sol no parque, Viajar
Além do físico, Almas a plasmar

Reconectar
Reduzir a pressa 
Transcender
Ser por um tempo a mistura de mim e você

Como nas ruas de mãos dadas
Coloridos no preto e branco
Onde andemos
Onde estarás
Mas pelo desejo físico
Não me encontrarás.


Autora: Ceane Silva
Tecnologia do Blogger.